Familia Cotrim

Notas


Dr. Eduardo Augusto Torres Cotrim

No excelente livro "A Fazenda Moderna, Guia do Criador de Gado Bovino no País", editado em Bruxelas, na Bélgica, em 1913, Eduardo Cotrim comenta uma porção de gramíneas e leguminosas, entre as quais o capim-angola, capim-fino ou capim-de-planta, então chamado Panicum spectabile.

Nascido no Rio de Janeiro em 14/10/1857, era filho do Dr. José Custódio Cotrim e D. Joaquina Rodrigues Torres Cotrim e neto do Visconde de Itaboraí.
Formou-se engenheiro pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro em 1878, na mesma turma que Aguiar Moreira, Paulo de Frontin, Osório de Almeida, Souza Bandeira, Nerval de Gouvêa, entre outros. Na mesma ocasião recebeu o grau de Engenheiro Civil e Bacharel em ciências físicas e matemáticas. Seu projeto de vida foi a lavoura, sendo um dos mais adiantados criadores de gado selecionado. Residiu por muitos anos na sua fazenda situada no distrito de Campo Belo, município de Resende, região de Itatiaia. Dedicou-se especialmente à agricultura e à pecuária, áreas de estudo que tornaram seu trabalho conhecido e aplicado em todo o país.

Foi dos primeiros a chamar a atenção para a necessidade de melhorar nossas raças bovinas pelo cruzamento com reprodutores finos. Não apenas colaborou intensamente para a fundação da Sociedade Nacional de Agricultura (Rio de Janeiro, 1897), como transformou sua fazenda em eficiente laboratório dos processos zootécnicos. Incansável, não se limitou a agir como criador que era, mas agiu como patriota, como político, procurando obter a cooperação do Estado e tratando de convencer a todos os outros criadores do Brasil.

Em 1910 alertava, durante uma conferência, para o problema pecuário essencial para o Brasil, afirmando que precisamos nos preparar, porque a Europa deveria nos procurar para abastecê-la de carne, que já começava a faltar naquele continente. O que parecia profecia realizou-se em 1914, quando se iniciou a primeira grande guerra, mas não estávamos prontos como o Dr. Cotrim havia recomendado.

Em 1913 publicou o livro "Fazenda Moderna", no qual reuniu o melhor para trabalhar em pecuária no Brasil. Nas suas conferências, discursos e folhetos, claros, cheios de observações e fatos, não foi só um precursor, mas um mestre ouvido, que muito fez em favor do desenvolvimento da riqueza nacional. Representou o Brasil em várias conferências no exterior e aqui foi promotor, organizador e Presidente da Exposição Nacional de Gado e da Conferência Nacional de Pecuária. Na qualidade de vice-presidente da Sociedade Nacional de Agricultura, foi convidado a presidir o Primeiro Congresso Paulista de Pecuária, em 1916, instalado pela Sociedade Paulista de Agricultura, resultado da convergência de esforços e expectativa de resultados pela capacidade individual de seus membros aplicada ao problema da pecuária.

Exerceu vários cargos de representação na política e na administração pública. Foi deputado estadual no Rio de Janeiro, nos Governos dos Srs. Alberto Torres e Quintino Bocaiúva. Fazia parte do Comitê Nacional de produção e era membro do Diretório da Liga de Defesa Nacional do Estado do Rio de Janeiro.

Foi representante do Brasil no Congresso Internacional de Agricultura de Gand; representante do Brasil no Congresso Internacional de Polícia Sanitária Animal e Medicina Veterinária de Montevidéu; Presidente do Primeiro Congresso de Pecuária Paulista; Presidente da Primeira Conferência Nacional de Pecuária; Presidente da Comissão Organizadora da Primeira e Segunda Exposições Nacionais de Pecuária; membro da Federação Internacional de Leiteria da Bélgica; representante do Brasil, por três vezes, na Exposição Internacional de Palermo; membro da Comissão Organizadora do serviço de Polícia Sanitária Animal do Ministério da Agricultura; Presidente da Comissão de Pecuária no Primeiro Congresso Paulista de Ensino Agrícola; paraninfo de diversas turmas de Engenheiros Agrônomos de diversas escolas de agricultura do país, além de exercer muitas outras funções políticas e administrativas.

Deixou muitas obras de reconhecido valor industrial e agrícola:

O Gado Zebu
A Indústria Bovina na República Argentina e a sua Perspectiva no Brasil
A Indústria da Carne na República Argentina e o seu Futuro no Brasil
A Indústria de Laticínios da República Argentina e a sua atual situação no Brasil
A Indústria de Laticínios no Estado do Rio de Janeiro em Relação com os Mercados Consumidores
A Defesa Pecuária
Os Matadouros Modelos e as Nossas Atuais Raças do Consumo
O Frio Artificial e a Indústria Moderna
O Brasil e a Organização Rural
A Indústria Pastoril no sul de Mato Grosso
A Indústria da Pesca
O Gado Nacional e o Gado Estrangeiro
A Indústria Pecuária no Norte de São Paulo
A Economia Rural
A Solução de um Grande Problema
A Organização da Vida Rural Platina e o que deve ser feito no Brasil
A Necessidade de ser Instituído o Crédito Agrícola
A Função Econômica do Gado
A Fazenda Moderna Guia do Criador de Gado Bovino no Brasil
Em 1913 escreveu para os jornais de Bruxelas, Bélgica, diversos artigos assinados e de propaganda econômica do Brasil. Colaborou em vários jornais do Rio de Janeiro e de São Paulo.Faleceu vítima de colapso cardíaco. Era casado com D. Rosa Emília Bernardes Cotrim.

BIOGRAFIA: Dedicou-se a lavoura e a criação de gado no municipio de Resenda (Estado do Rio de Janeiro). Sua fazenda, que existiu unificada até 1947, ficava onde hoje é a cidade e município de Itatiaia.